Notice: file_get_contents(): read of 8192 bytes failed with errno=21 Is a directory in /var/www/html/catalogo-sbn/wp-includes/functions.php on line 4629 Notice: wp_json_file_decode(): Erro ao decodificar um arquivo JSON no caminho /var/www/html/catalogo-sbn/wp-content/themes/catalogo-sbn/resources: Syntax error in /var/www/html/catalogo-sbn/wp-includes/functions.php on line 6085 Notice: file_get_contents(): read of 8192 bytes failed with errno=21 Is a directory in /var/www/html/catalogo-sbn/wp-includes/functions.php on line 4629 Notice: wp_json_file_decode(): Erro ao decodificar um arquivo JSON no caminho /var/www/html/catalogo-sbn/wp-content/themes/catalogo-sbn/resources: Syntax error in /var/www/html/catalogo-sbn/wp-includes/functions.php on line 6085

Condições e etapas para implementação

Os alagados construídos funcionam bem na maioria das regiões e sua aplicação não se restringe a determinados climas. Estes sistemas requerem dois componentes principais: áreas livres e água. Embora pareça simples, encontrar os dois juntos não é das tarefas mais fáceis num ambiente urbano. É preciso, para tanto, planejamento e atenção às oportunidades que podem ser encontradas, considerando alguns pontos [37]:

  1. Verificar as características que existiam antes da urbanização do território e identificar os pontos críticos das bacias que exigem intervenção;
  2. Uma vez confirmadas as principais rotas de água, as oportunidades para alagados construídos podem ser identificadas pela sobreposição de mapas de parques e outros espaços disponíveis;
  3. Certas áreas podem ser priorizadas, considerando a saúde do corpo d’água receptor, o tamanho da área de captação que será tratada, a carga de poluição a ser combatida e a proximidade da rede de águas pluviais, entre outros fatores;
  4. A avaliação também deve considerar possíveis restrições dos espaços disponíveis. É preciso verificar os usos que a comunidade dá à área (por exemplo, campos esportivos); a presença de vida selvagem e habitats (incluindo áreas protegidas); as designações de patrimônio natural e arqueológico; possíveis contaminações; a existência de redes de serviços enterrados (como gás, eletricidade e água) etc.

A figura seguinte apresenta uma sequência de passos necessários à implementação de um alagado construído.

Fluxo de implementação alagado construído

1 – Análises de viabilidade
Tipos de solo, profundidade, possíveis contaminações, estimativas de fluxo de água, redes de serviços existentes etc.
2 – Projeto técnico
Definição de local, área, profundidade, materiais e espécies
3 – Licenças e autorizações
4 – Demarcação da área
Definição do tamanho, forma e profundidade
5 – Retirada da cobertura existente
Remoção de vegetação, cascalho, calçamento ou pavimento
6 – Escavação das valas
A profundidade ideal da água para a maioria das plantas é de 100-300 mm.
7 – Instalação das conexões, contenções e dipositivos de entrada e saída das águas
8 – Instalação das camadas inferiores
Cascalhos e substrato
9 – Plantio da vegetação e trabalhos de jardinagem do entorno
10 – Testes com simulação de chuva
Detecção e correção de possíveis erros de construção ou efeitos não previstos
11 – Conexão do sistema na rede de águas pluviais
Ideal é que o sistema esteja desligado da rede enquanto construção
12 – Manutenção, monitoramento, avaliação 
e ajustes
No caso de realização pelo poder público, ressalta-se a necessidade de etapas anteriores ao projeto técnico, como:
  • Plano básico ou levantamentos preliminares;
  • Elaboração de termos de referência e levantamento de prestadores de serviços; 
  • Processo licitatório.